Pesquisar
Close this search box.

Trabalhadores realizam Marcha do Sacrifício em Sergipe. Servidores públicos e movimentos sociais lembram Dia da Água e a luta contra privatização da Deso

MAIARA ELLEN, da Mangue Jornalismo (@maiara.ellen)

Ontem, dia 22, servidores públicos e representantes de diversos movimentos sociais em Sergipe marcharam pelas ruas do Centro de Aracaju. Numa caminhada simbólica, eles carregaram 14 cruzes, o que fazia referência às estações da Via Sacra, no caso, representavam o sacrifício dos trabalhadores sergipanos, vítimas dos ataques do Governo do Estado aos direitos, especialmente com uma política que privatiza os serviços públicos.

Realizada no Dia Mundial da Água, a marcha teve concentração às 7 horas e partiu da sede da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso). As lutas contra a venda dessa empresa e contra a privatização da água foram as grandes motivações do ato.

A caminhada passou por pontos simbólicos, como a Secretaria de Estado da Administração, a sede da Ordem dos Advogados do Brasil/SE (OAB/SE), Câmara dos Vereadores, Ipesaúde, Assembleia Legislativa, entre outros.

No percurso, foram deixadas cruzes com mensagens de repúdio ao não pagamento do piso salarial do Magistério, de indignação pela violência contra as mulheres, de luta contra a privatização da saúde, da educação, da venda da Deso e da privatização da água, além de vários outros ataques que a sociedade civil vem sendo alvo.

A manifestação foi encerrada na frente da Assembleia Legislativa, onde um boneco simbolizando o governador Fábio Mitidieri (PSD) foi queimado.

Seguem alguns dos registros em nossa fotorreportagem:

Isso aqui é importante!

Fazer jornalismo independente, ousado e de qualidade é muito caro. A Mangue Jornalismo só sobrevive do apoio das nossas leitoras e leitores. Por isso, não temos vergonha em lhe pedir algum apoio. É simples e rápido! Nosso pix: manguejornalismo@gmail.com

Deixe seu comentário:

Pular para o conteúdo