Pesquisar
Close this search box.

Teatro Lourival Baptista vai fazer aniversário de seis anos de descaso e abandono. Governo do Estado renova a promessa de reforma do prédio para 2024

MAIARA ELLEN, da Mangue Jornalismo
@maiara.ellen
CRISTIAN GÓES, da Mangue Jornalismo (supervisão)
@josecristiangoes

Seis anos de descaso e abandono: promessa de reforma renovada para 2024 (Foto Maiara Ellen)

Depois de ser fechado no ano de 2018 com a promessa de uma reforma, o Teatro Lourival Baptista (rua Laranjeiras, bairro Getúlio Vargas, Aracaju) encontra-se totalmente abandonado pelo Governo do Estado.

A fachada desse histórico equipamento de cultura já revela o completo descaso. Até parece que foi jogada uma bomba no prédio. Não há porta e sobra sujeira, vidro espalhado, restos de mobília, mato em todo o lugar e artefatos quebrados por toda parte.

“Na semana passada, ao me deparar com o espaço, senti um aperto no peito diante da situação em que nossa casa se encontra. Recordações significativas afloraram, desde as peças que presenciei no Festival de Artes Cênicas de Sergipe até as exposições e os antigos cartazes dos grupos que já passaram por ali. É lamentável,” disse Rônison Costa de Jesus, professor de teatro e do grupo teatral Menores Unidos, de Laranjeiras.

Situação do Lourival Baptista: isto aqui é parte do teatro (Foto Maiara Ellen)

Após o Teatro Lourival Baptista ser fechado em 2018, o Governo do Estado anunciou no ano seguinte uma reforma que seria feita pela Fundação de Cultura e Arte Aperipê (Funcap) e pela Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas (Cehop). 

O anúncio da restauração do espaço prometia segurança no prédio por 24 horas, a fim de evitar atos de vandalismo e roubo no local. No entanto, a obra não saiu e denúncias feitas por moradores há alguns anos relatam um total descaso. Além do abandono físico, testemunhas encontraram no meio do lixo caixas de arquivos contendo documentos e materiais que guardavam informações sobre as apresentações que ocorriam no teatro.

Fachada do Teatro Lourival Baptista: descaso e abandono (Foto Maiara Ellen)

Teatro Lourival Baptista vai completar 57 anos: a arte do descaso

O Lourival Baptista foi inaugurado em 1967, com o intuito de cumprir as demandas das atividades extraclasses do Instituto de Educação Rui Barbosa (IERB). A estrutura do teatro era composta por camarins, sala de leitura e pesquisa, galeria de arte, assim como um memorial dedicado à preservação da história das artes cênicas no estado.

No ano de 2003, o espaço foi aprimorado, requalificado e oficializado como teatro, sendo por anos a casa das mais diversas manifestações artísticas e culturais de Sergipe. Eram marcantes os cartazes dos eventos, as temporadas de grupos de espetáculos, exposições.

O descaso e o abandono não são exclusividade do Teatro Lourival Baptista, mas o reflexo do cenário artístico e cultural do estado. De acordo com informações já divulgadas pela Mangue Jornalismo, uma pesquisa no Sistema de Informações e Indicadores Sociais (SIIC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou que Sergipe foi o terceiro estado do Nordeste que menos investe em cultura, apenas 0,8%.

Rônison Costa também ressalta que a cidade de Laranjeiras já abrigou dois teatros, o Santo Antônio e o São Pedro, nos quais companhias nacionais e internacionais realizavam apresentações. Atualmente, ambos permanecem fechados. O professor enfatiza que a precarização do cenário artístico local parece ser proposital, já que a arte é uma ferramenta fundamental para promover educação, libertação e questionamento.

Para o ator Lindolfo Amaral, diretor do Grupo Imbuaça, o mais antigo teatro de rua do Brasil, é necessário ampliar o debate para além dos espaços artísticos já conhecidos popularmente. Ele defende a importância de voltar a atenção também para os centros culturais de desenvolvimento de artes nos bairros periféricos que, muitas vezes, encontram-se fechados ou sem programações em execução.

Amaral destaca a necessidade de avaliar essa questão de maneira mais ampla, questionando a presença de teatros nas cidades. Ele aponta, por exemplo, para a situação do Centro Cultural de Aracaju, que se encontra fechado, onde existe o Teatro João Costa, mas a falta de apresentação é evidente.

Além disso, o ator ressalta a existência de espaços como os Centro de Artes e Esportes Unificados (CEUs), um no bairro Lamarão e outro no 17 de março, destacando a incerteza quanto à realização de programações nesses locais.

“O CEU é um centro cultural construído com recursos federais, destinado a promover ações artísticas nas periferias das cidades. São espaços voltados para múltiplas linguagens, equipados com teatro. No entanto, é importante notar que possuímos diversos equipamentos, por vezes ociosos, e muitas vezes desconhecemos se estão em pleno funcionamento.” explicou Amaral.


Governo renova promessa de revitalização do teatro

Sobre o descaso, abandono e “reforma eterna” do Teatro Lourival Baptista, o Governo do Estado, por meio da Funcap, divulgou uma nota afirmando que os recursos para a reforma do teatro já estão disponibilizados para o ano de 2024.

“Em 2023, houve um trâmite de desistência da empresa contratada para a reforma, e atualmente a Funcap está cumprindo com as etapas necessárias para que seja anunciado o início das obras. O objetivo da reforma do Teatro Lourival Baptista é transformá-lo, também, em um espaço multiuso que beneficie a cultura e a educação.” diz a nota.

No ano de 2021, a direção da Funcap também havia emitido um comunicado informando que a intervenção no prédio do Teatro Lourival Baptista já havia sido incluída na previsão orçamentária de 2022, entretanto, o teatro segue abandonado.

Isso aqui é importante!

Fazer jornalismo independente, ousado e de qualidade é muito caro. A Mangue Jornalismo só sobrevive do apoio das nossas leitoras e leitores. Por isso, não temos vergonha em lhe pedir algum apoio. É simples e rápido! Nosso pix: manguejornalismo@gmail.com

Deixe seu comentário:

Pular para o conteúdo