Pesquisar
Close this search box.

Prefeitura gasta mais de R$ 4,1 milhões só com artistas e cachês chegam aos R$ 420 mil. A Mangue Jornalismo divulga a lista de algumas contratações

CRISTIAN GÓES, da Mangue Jornalismo

Depois de divulgar apenas alguns dos contratos do Governo do Estado para a realização do forró da orla (quase R$ 8 milhões), a Agência Mangue Jornalismo publica hoje os gastos da Prefeitura de Aracaju, contratados pela Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju) com artistas, mas somente entre 05 de maio até dia 16 de junho.

Nesse período, a Prefeitura de Aracaju contratou artistas utilizando de R$ 4.156.000,00, entre músicos locais, quadrilhas e artistas “nacionais”. Para o Forró Caju será empregado o maior valor até agora nessas contratações, R$ 3.955.000,00. Além desse valor, a Prefeitura de Aracaju está gastando outros R$ 117.000,00 de dinheiro público para pagar artistas que se apresentam na festa junina organizada pelos empresários do comércio (Fecomércio), no centro da cidade.

A Funcaju também contratou artistas, nesse caso locais, gastando até agora R$ 84.000,00, para que eles se apresentem em bairros e em outras organizações. Chama atenção o contrato do dia 13 de junho, onde a Prefeitura de Aracaju pagou R$ 2 mil para a apresentação artística do “Trio Quadrilha Junina Século XX” na Fanese, uma faculdade privada e que se localiza no bairro Industrial. Esse evento estava previsto para o mesmo dia 13 de junho e deveria durar 2 horas e 20 minutos.

Dé Lucas, do Coletivo de Saraus de Sergipe e diretor de comunicação do Sindicato dos Músicos Profissionais de Sergipe, afirma que os artistas locais têm extremas dificuldades com a Funcaju. “A gente não é ouvido. O artista sergipano do nicho do forró não é ouvido. O poder público deveria interferir, através do Ministério Público, Ministério do Trabalho, Poder Público Federal. É preciso investigar porque essas bandas recebem valores exorbitantes, enquanto artistas locais não recebem”, pede e questiona o músico.

Cachês vão de R$ 1 mil até R$ 420 mil

Ao que parece, existe um acordo tácito entre contratante e contratados que estipulam valores de apresentações artísticas, um aspecto subjetivo que pode dar margem para uma série de reflexões, além do uso público e privado. Por exemplo, a Prefeitura de Aracaju contratou o Trio Cacimba Nova para fazer apresentações no aeroporto de Aracaju. Do dia 15 a 22 de junho tocarão das 9 às 11 horas. E de 23 a 30 de junho, vão tocar das 14 às 16 horas. O cachê é de R$ 1 mil. Como serão 16 apresentações, o total chega a R$ 16 mil.

No Forró Caju, a prefeitura contratou o artista Xand Avião pelo valor de R$ 420.000,00. A apresentação dele está prevista para as duas horas da manhã do dia 29 de junho. Também por R$ 420.000,00 foi contratada a cantora Mari Fernandez, que deverá fazer 1h30 de show no início do dia 30. Chamam atenção ainda os valores de cachê do cantor Zé Vaqueiro, R$ 350.000,00; Gustavo Mioto, R$ 320.000,00; Saia Rodada, R$ 280.000,00; Calcinha Preta, R$ 250.000,00; Joelma, R$ 250.000,00; Mano Walter, R$ 250.000,00; Alceu Valença,  R$ 250.000,00 e Adelmário Coelho,  R$ 200.000,00, entre outros. Veja a lista completa no final da reportagem.

Ainda sobre esses gastos da Prefeitura de Aracaju, os valores que a Mangue Jornalismo publica hoje não constam de outros vários artistas locais e nacionais contratados e que estão na programação das festas juninas da capital. Os contratos ainda não foram publicizados, uns entram com atraso e outros serão publicados depois das festas. Também nesse valor global superior aos R$ 4 milhões não estão os gastos com estrutura de palco, luz, som e pessoal terceirizado, etc. Encerrada toda programação e feitos todos os pagamentos, pode-se se ter o gasto total da Prefeitura de Aracaju com a festa.

Para a Mangue Jornalismo, se o dinheiro é público, todo público tem o direito de saber quanto os órgãos públicos gastam, como e com quem gastam, qual a modalidade de escolha para a contratação, onde estão os contatos e quais são os resultados para o público (a população) desses gastos.

Sete anos de desvalorização dos servidores municipais

Enquanto a Prefeitura de Aracaju gasta milhões com os festejos juninos, os servidores públicos municipais denunciam a precarização do serviço público e uma desvalorização salarial que ultrapassa os sete anos. Mesmo em período de festa, vários sindicatos dos servidores da Prefeitura de Aracaju estão mobilizados contra uma ação do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) que irá cortar gratificações e conceder 7,5% de reposição salarial para todas as categorias, o que deve gerar um saldo negativo para maioria dos servidores municipais.

“Na prática, o servidor vai ficar com um saldo negativo, com uma remuneração menor do que a atual. É um absurdo”, comentou Carlos Augusto, presidente do Sacema (Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde de Aracaju). Ele mostra que, nos sete anos de arrocho salarial para os servidores do município de Aracaju, a inflação acumulada chegou a 35,73% (INPC-IBGE), portanto, o reajuste salarial de 5% (em 2022) e a proposta de 7,5% em 2023 não cobrem perdas.

Além disso, categorias profissionais que têm, por lei, piso salarial, como as do magistério, agentes comunitários de Saúde e combate a endemias e da enfermagem, dizem que a prefeitura não cumpre. Amanhã, dia 20, às 7h30 vai ocorrer uma assembleia unificada de vários sindicatos dos servidores municipais, na porta da Câmara de Vereadores de Aracaju.

Sem respostas da Prefeitura de Aracaju

A Mangue Jornalismo entrou em contato com a assessoria de Comunicação da Funcaju, encaminhou algumas questões e até o fechamento desta reportagem não recebeu as respostas.

Entre as questões, buscamos saber: o valor de mais de R$ 4 milhões é compatível com as condições financeiras do município? Os cachês de R$ 420 mil para Mari Fernandes e Xand Avião; de R$ 320 mil para Gustavo Mioto estão nas médias para esse período? Há uma mensuração de impacto cultural e econômico com essas contratações? Os cachês das atrações locais, entre R$ 4 e 8 mil, são ajustados com a realidade cultural? Houve chamamentos públicos para as atrações locais? Também verificamos que a Funcaju pagou R$ 2 mil para a Quadrilha Século XX, esse é o preço praticado? E mais, o porquê dessa apresentação ter ocorrido em uma faculdade privada, a Fanese? Quais os custos das estruturas de palco, luz e som do Forró Caju 2023? A Funcaju fez contratos para pagar artistas no evento promovido pela Fecomércio. Esse tipo de ação é parte da política cultural de Aracaju? Qual a avaliação geral, comparativa ou não aos anos anteriores, dos gastos da Prefeitura de Aracaju com as festas juninas?

GASTOS PREFEITURA DE ARACAJU – SÓ COM ARTISTAS (De 05/05 a 16/06)

IN0097/2023, DE 16 DE JUNHO
FORROZÃO QUARTO DE MILHA
VALOR: R$ 30.000,00
LOCAL DE APRESENTAÇÃO: BAIRRO BUGIO

IN0120/2023, DE 16 DE JUNHO
SABRYNA AQUINO
VALOR:  R$ 2.000,00
LOCAL: BAIRRO BUGIO

IN0095/2023, DE 15 DE JUNHO
FORRÓ CUSCUZ COM LEITE
VALOR: R$ 30.000,00

LOCAL: BAIRRO AMÉRICA

IN0090/2023, DE 15 DE JUNHO
GILSON DO ACORDEON
VALOR: R$ 4.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0105/2023, DE 15 DE JUNHO
TRIO PAU DE ARARA
VALOR: R$ 4.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0091/2023, DE 15 DE JUNHO
PÉ QUENTE DO FORRÓ
VALOR: R$ 4.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0084/2023, DE 14 DE JUNHO
CHIQUINHO ALÉM MAR E BANDA FORRÓ DE MALA E CUIA
VALOR: R$ 10.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0107/2023, DE 14 DE JUNHO
TRIO CACIMBA NOVA
VALOR: R$ 16.000,00 (16 APRESENTAÇÕES)

LOCAL: AEROPORTO DE ARACAJU

IN0085/2023, DE 13 DE JUNHO
CHICO RODRIGUES E FORRÓ CHIC CHIC
VALOR: R$ 4.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0083/2023, DE 13 DE JUNHO
LUIZ FONTINELI
VALOR: R$ 15.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0119/2023, DE 13 DE JUNHO
TRIO QUADRILHA JUNINA SÉCULO XX
VALOR: R$ 2.000,00

LOCAL: FACULDADE FANESE

IN0080/2023, DE 13 DE JUNHO
LUCAS CAMPELO E BANDA
VALOR: R$ 8.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0076/2023, DE 07 DE JUNHO
CAÇULA DO FORRÓ
VALOR: R$ 8.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0104/2023, DE  07 DE JUNHO
XOTE MANIA
VALOR: R$ 4.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0089/2023, DE 07 DE JUNHO
BANDA KI-LARIÔ
VALOR: R$ 4.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0082/2023, DE 07 DE JUNHO
GLAUBERT SANTOS
VALOR: R$ 8.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0111/2023, DE 06 DE JUNHO
SUELLEN LINS
VALOR: R$ 2.000,00

LOCAL: APAE – BAIRRO INDUSTRIAL

IN0077/2023, DE 31 DE MAIO
EVANILSON DO ACORDEON
VALOR: R$ 8.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0088/2023, DE 05 DE JUNHO
BANDA XOTEADO
VALOR: R$ 4.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0078/2023, DE 05 DE JUNHO
ELIAS DO ACORDEON
VALOR: R$ 4.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0074/2023, DE 05 DE JUNHO
ISABELA SERPA
VALOR: R$ 50.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0079/2023, DE 05 DE JUNHO
FERNANDO CRATEÚS
VALOR: R$ 8.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0081/2023, DE 01 DE JUNHO
JOBA RALA COXA
VALOR: R$ 20.000,00

LOCAL: CENTRO DA CIDADE – FECOMÉRCIO

IN0068/2023, DE 02 DE JUNHO
SAIA RODADA
VALOR: R$ 280.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0070/2023 , DE 02 DE JUNHO
FORRÓ PRIME
VALOR: R$ 30.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

N0061/2023, DE 01 DE JUNHO
GUSTAVO MIOTO
VALOR: R$ 320.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0075/2023, DE 29 DE MAIO
BANDA ZUERÕES DO FORRÓ
VALOR: R$ 60.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0071/2023, DE 31 DE MAIO
RAFINHA O BIG LOVE
VALOR: R$ 90.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0060/2023, DE 26 DE MAIO
MARI FERNANDEZ
VALOR: R$ 420.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0053/2023, DE 26 DE MAIO
ZÉ VAQUEIRO
VALOR: R$ 350.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0069/2023, DE 25 DE MAIO
LUANZINHO
VALOR: R$ 60.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0064/2023, DE 24 DE MAIO
MESTRINHO
VALOR: R$ 60.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0057/2023, DE 18 DE MAIO
LUAN FORRÓ ESTILIZADO
VALOR: R$ 100.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0073/2023, DE 19 DE MAIO
MIMI DO ACORDEON
VALOR: R$ 2.000,00

LOCAL: 1º FORRÓ DO ORATÓRIO DE BEBÉ

IN0054/2023, DE 18 DE MAIO
CALCINHA PRETA
VALOR: R$ 250.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0055/2023, DE 19 DE MAIO
XAND AVIÃO
VALOR: R$ 420,000.00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0067/2023, DE 19 DE MAIO
“HÉLOA” COM PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DE SILVÉRIO PESSOA
VALOR: R$ 45.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0066/2023, DE 18 DE MAIO
JOELMA
VALOR: R$ 250.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0065/2023, DE 18 DE MAIO
SOLANGE ALMEIDA
VALOR: R$ 170.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0052/2023, DE 17 DE MAIO
MANO WALTER
VALOR: R$ 250.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0051/2023, DE 10 DE MAIO
JONAS ESTICADO
VALOR: R$ 180.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0056/2023, DE 12 DE MAIO
ADELMARIO COELHO
VALOR: R$ 200.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0049/2023, DE 12 DE MAIO
ALCEU VALENÇA
VALOR: R$ 250.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

IN0050/2023, 05 DE MAIO
CAVALEIROS DO FORRÓ
VALOR: R$ 120.000,00

LOCAL: FORRÓ CAJU

Isso aqui é importante!

Fazer jornalismo independente, ousado e de qualidade é muito caro. A Mangue Jornalismo só sobrevive do apoio das nossas leitoras e leitores. Por isso, não temos vergonha em lhe pedir algum apoio. É simples e rápido! Nosso pix: manguejornalismo@gmail.com

Uma resposta

  1. O que a Gestão de Edvaldo Nogueira vem fazendo é gastar muito dinheiro em junho para destruir nossa maior tradição cultural. O palco ” mais importante” na ótica deles repleto de artistas que não cantam forró, nunca tiveram engajamento cultural com as temáticas nordestinas juninas. É um absurdo. É inaceitável.

Deixe seu comentário:

Assine a Catado da Mangue Jornalismo agora mesmo!

Digite seu endereço de e-mail para receber a nossa newsletter gratuita.

Revista Paulo Freire

Todo mês, uma nova edição.

Compartilhe a reportagem

Pular para o conteúdo