Pesquisar
Close this search box.

Mangue Jornalismo se torna parceira do Instituto Vladimir Herzog e da Rede Nacional de Proteção de Jornalistas e Comunicadores

A partir desta semana, a Agência Mangue de Jornalismo passa a ser parceira de duas importantes organizações nacionais comprometidas com os Direitos Humanos, a Democracia e a Liberdade de Expressão. As parcerias são com o Instituto Vladimir Herzog e com a Rede Nacional de Proteção de Jornalistas e Comunicadores.

O Instituto Vladimir Herzog (IVH) é uma organização da sociedade civil criada em junho de 2009 para celebrar a vida e o legado de Herzog, jornalista assassinado pela ditadura militar no Brasil (1964 e 1985). O IVH tem como missão trabalhar com toda a sociedade pela defesa dos valores da Democracia, dos Direitos Humanos e da Liberdade de Expressão.

Educação em Direitos Humanos; Jornalismo e Liberdade de Expressão; Memória, Verdade e Justiça são as três grandes frentes do IVH, além de dedicar muita atenção às temáticas de gênero, raça e meio ambiente, questões que são centrais para a Mangue Jornalismo.

Para o IVH, a luta pela garantia da Democracia, dos Direitos Humanos e da Liberdade de Expressão é dever de todos, especialmente porque esses valores estão no cerne dos delicados momentos políticos e econômicos do Brasil e do mundo. “Nossa atuação parte do reconhecimento de que o Brasil vive um momento de aumento crescente de discursos e práticas de ódio, naturalizando cada vez mais as violências sociais já existentes”, anota o IVH em seus documentos.

Para o IVH é fundamental “ajudar na construção de um novo paradigma para nosso tempo, a ser erguido sobre os princípios elementares da dignidade humana. Temos o privilégio de caminhar no presente, com a sociedade, em direção a um país mais íntegro, mais justo, mais democrático e socialmente responsável”.

Rede Nacional de Proteção de Jornalistas e Comunicadores

A Mangue Jornalismo também passa a integrar a Rede Nacional de Proteção de Jornalistas e Comunicadores. Essa Rede é fruto de uma articulação entre organizações da sociedade civil com jornalistas e comunicadores de todo o Brasil e é encabeçada pelo Instituto Vladimir Herzog e pela Artigo 19.

Trata-se de uma iniciativa que pretende combater o avanço dos ataques e das ameaças à liberdade de expressão, por meio da denúncia de casos, de processos de formação e de estratégias para garantir a participação de diferentes atores que podem e devem contribuir com a segurança dos profissionais da imprensa, que exercem um papel crucial para o bom funcionamento do regime democrático.

As diretrizes da Rede foram construídas a partir de dois encontros realizados em São Paulo, em 2018 e 2019, que reuniu jornalistas, comunicadores e representantes de organizações da sociedade civil, de coletivos de mídia e de outras iniciativas de defesa dos direitos humanos.

Além da coordenação do Instituto Vladimir Herzog e da Artigo 19, a Rede Nacional de Proteção de Jornalistas e Comunicadores conta com o apoio da Repórteres sem Fronteiras, do Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social – e da Associação Profissão Jornalista (APJor). Fazem parte ainda outras organizações e dezenas de ativistas, jornalistas e comunicadores que compõem a Rede.

CRISTIAN GÓES

Isso aqui é importante!

Fazer jornalismo independente, ousado e de qualidade é muito caro. A Mangue Jornalismo só sobrevive do apoio das nossas leitoras e leitores. Por isso, não temos vergonha em lhe pedir algum apoio. É simples e rápido! Nosso pix: manguejornalismo@gmail.com

Uma resposta

Deixe seu comentário:

Pular para o conteúdo